Como integrar a cozinha com a sala de estar

Como integrar a cozinha com a sala de estar
Print This Article

Desfrute os benefícios da integração da cozinha e a sala de estar

Em projetos menores, integrar a cozinha e a sala é uma boa opção para deixar o projeto com ainda mais comodidade


Em tempos de apartamentos com pequenas metragens de 40, 30 e até 20 m², os ambientes passaram por algumas readequações para comportá-los em um único projeto. Até a cozinha, que passou a ser frequentada não só pelos moradores, mas também por convidados, precisou ser reduzida. Mas qual seria a solução para evitar o aperto e dispor de uma cozinha gostosa e confortável?

Leia também:
Cozinha Americana: integrando espaços e pessoas
Confira como é a nova cozinha mineira
10 dicas para ajudar a criar a cozinha ideal

Os arquitetos Renata Cipriano e Marcus Paffi, do escritório Cipriano Paffi Arquitetura, localizado na capital paulista, revelam que a melhor alternativa para os apês minúsculos é eliminar as barreiras entre cozinha e sala de estar. Todavia, antes de começar a obra, alguns pontos devem ser considerados.

Experientes nesse tipo de execução, os profissionais prepararam uma lista que auxiliará o morador na decisão de integrar (ou não), a cozinha com a sala de estar. Acompanhe:

  • Você gosta de cozinhar, preza pela excelente organização e costuma reunir amigos para refeições?

“Se a resposta for sim, ótimo. Essas características nos permitem passar para os próximos passos na execução do projeto. Mas se não for o caso, o melhor é deixar cozinha e sala em suas versões clássicas”, explica Renata Cipriano.

  • Antes de começar a quebrar paredes, procure um profissional que possa avaliar tecnicamente essa remoção. Também é importante consultar o condomínio, já que existem regras internas para modificar qualquer estrutura do projeto.

“Se a parede for estrutural não pode ser retirada, pois pode acarretar problemas tanto para o apartamento, como para o edifício”, alerta Marcus Paffi. “Além disso, é válido verificar se a parede contempla instalações elétricas, hidráulicas ou tubulação de gás, por exemplo,”, completa.

  •  Planejamento é fundamental: o objetivo do projeto é mostrar como ficará o layout e o fluxo de circulação depois da integração, apresentando também a divisão das áreas de preparo, lavagem, cocção, estoque e apoio. Atente-se que tudo poderá ser visto da sala. Portanto organização é primordial.
  •  Buscando a harmonia entre sala e cozinha, a adoção do mesmo piso, cores e acabamentos das paredes garante a unidade visual. A iluminação também deve ser bem distribuída.
    “Visualmente, paredes com pintura colaboram para a melhor integração entre os espaços. Revestimentos cerâmicos devem ser utilizados somente em áreas úmidas como o caso da pia. Para completar, cores e texturas podem se tornar elementos decorativos”, aconselha a arquiteta.
  •  Por último e, não menos valioso, recomenda-se atenção redobrada para que odores e gordura não ultrapassem os limites da cozinha. Para tanto, a exaustão, por meio de coifas esteticamente bonitas e silenciosas, é a solução para minimizar a propagação de cheiros.
Este post é uma contribuição da assessoria da Cipriano Paffi Arquitetura para o Guia BH Mulher

Nota: Ao reproduzir nosso conteúdo, favor informar os créditos e manter os links. Caso algum artigo ou imagem postado aqui em nosso site, que seja de sua autoria e o crédito não esteja determinado, favor entrar em contato pelo acesso no rodapé do site ou no menu acima.

dicas bh

 

 

Veja onde encontrar em Belo Horizonte e cidades vizinhas